Paciência e bolo de banana

Estou com uma pressa danada de ver a minha casa ficar aconchegante e com a minha cara. Mas antes de pensar em decoração, algumas etapas estão sendo prioridade:

Limpeza

Algumas tarefas devem ser feitas logo de cara no apartamento novo, por que são daquelas que a gente faz uma vez na vida outra na morte: limpar todas as gavetas e armários por dentro, passar pano nas paredes, limpar rodapés, pintar o closet, etc.

Tornar a casa transitável

Logo de cara eu só pude contar com o closet e os armários da cozinha. Quando as estantes chegaram, e instalei algumas prateleiras, pude desencaixotar todos os livros e a maioria das coisas que tornavam os cômodos intransitáveis.

Instalação de acessórios

Algumas coisas parecem bobas, mas fazem uma tremenda falta, por que tornam a vida mais prática. Tratei logo de instalar um chuveirinho, um porta papel higiênico e cortinas para o box no banheiro. Ainda me faz falta um espelho, um filtro de água, uma mesa dobrável para eu poder fazer minhas refeições longe do computador ou sem prato no colo…

Jeitinho

Conselho de amiga: aceite ajuda, e se for de alguém que você ama, melhor ainda. Mami me ajudou a comprar e executar tudo isso, e com seu jeitinho prático, deu soluções para coisas que vão ter de esperar. Como eu ainda não tenho rack para a TV, ela me emprestou um módulo de canto do armário dela, para a falta de armário debaixo da pia do banheiro, uma fruteira de plástico baixinha.

Com tudo mais arrumadinho me animei a realmente estrear a minha cozinha fazendo um bolo, que dá aquela sensação de “estar em casa” que eu precisava. A receita eu aprendi com a minha irmã, e é o bolo mais molhadinho que eu conheço. Vai aí a receita:

Bolo de Banana da Imotto

2 ½ xícaras de farinha de rosca

2 xícaras de açúcar

1 colher de sopa de fermento

4 ou 5 bananas bem maduras

3 ovos

1 xícara de óleo

canela a gosto

Bater no liquidificador os ovos, a banana e o óleo; juntar essa mistura aos ingredientes secos mexendo com uma colher de pau; colocar tudo numa forma untada e enfarinhada; ir ao forno por mais ou menos 40 minutos ou até que a crosta rache e o palito saia limpo.

Teletransporte não seria má idéia

 Deve existir um mundo perfeito onde as pessoas se mudam de um dia pro outro, com empacotadores, carregadores, decoradores e até organizadores profissionais, e no final do dia chegam na casa nova com tudo arrumadinho e tinindo.

Esse não foi o meu caso.

Me deparei com diversas situações de deixar o cabelo em pé, mas que são absolutamente comuns na maioria das mudanças, pelo menos quando fazemos parte de todo o processo.

Mas isso não quer dizer que precisava ser assim. A seguir, listo algumas providências que tomei e que gostaria de ter tomado para facilitar as coisas:

Viva com o mínimo – Na última semana, exercite a simplicidade: se for um casal, mantenha apenas 2 copos, 2 pratos, 2 garfos, etc. Não faça compras de estoque, aproveite ao máximo o que tem na despensa e principalmente na geladeira, e se possível, cozinhe e congele com antecedência refeições que só exijam micro-ondas para poupar panelas. Finja que está acampado na própria casa.

Everything is everything – Não pense que você tem pouca coisa e que vai conseguir colocar tudo numa caixa e trasportá-la de um dia pro outro. Eu empacotei coisas relacionadas, inventariei, colei a lista dos objetos nas caixas, e ainda assim, me deparei na última hora com um mundo de miudezas que não lembrava, coisas desconexas entre si de tamanhos e pesos diferentes, enfim, a gente sempre acha que tem menos do que realmente tem. Após selecionar o que é absolutamente indispensável para viver nas últimas semanas, verifique todos os compartimentos da casa: todos os armários, todas as gavetas, e tente colocar todos os objetos afins juntos.

Custo/benefício – Eu resolvi pagar um frete para os móveis grandes e pesados e levar as caixas de carro. Resultado: intermináveis idas e vindas com mil caixas pesadas. Se bobear, a gasolina que eu gastei dava pra outro frete, e no final das contas, eu pagaria sorrindo pra não ter metade do trabalho todo que tive.

Comece cedo e planeje – Cada providência tomada com antecedência poupa tempo e cabeça para o dia D. Verifique se o caminhão pode parar na frente da casa, se existem impedimentos para mudanças em certos dias pelo condomínio, pense em como você vai transportar suas roupas, quais são as caixas que vão permanecer fechadas por um tempo na casa nova, na pintura das casas e etc.

Bom, o processo é longo e cansativo. Daria pra fazer um tratado sobre o tema, mas vou parar por aqui, por que tenho que focar no presente e procurar soluções para o novo desafio: tornar aconchegante e organizada uma casa que é maior, mas que não tem muitos móveis.