Who you gonna call? Ghostbusters!

 

Ontem cheguei em casa, minha irmã veio me visitar e nem deu tempo de conferir a notícia que veio pelo telefone: meu marido me perguntando se eu vi que a diarista quebrou a quina do espelho. Na hora eu disse simplesmente “pô, que droga”.

Hoje já bateu uma pequena deprê, por que parece que tudo que eu ando comprando está sendo dinheiro perdido: o chuveirinho está pingando, o filtro tá meio bambo porque não era compatível com a toneira, o tapete tá com uma queimadura de cigarro, o vidro do criado-mudo quebrou antes mesmo de chegar ao quarto… Então por que surtar por causa do meu espelho novinho com a quina quebrada?!… AHHHHHHH! (Surtei atrasado)

Pode parecer maluquice, mas as vezes eu preferia que todas essas coisas ficassem mesmo inutilizáveis e eu comprasse tudo novinho de novo, mas nãaaaao: são coisas novas, inteiras com um defeitinho não suficiente para ir pro lixo ou ser doado. Dói no bolso e na consciência.

Resultado? Itens novinhos com cara de quebra-galho.

Antes de pensar que solução eu vou dar pra isso tudo, vou aceitar a proposta da minha irmã de purificar a casa, nem que seja com um incensinho…

PS: Eu não acredito em bruxas, mas que elas existem, ah, existem….

Anúncios

Upgrade: caixinhas de madeira

 Como combinado, aí está o meu novo momento artesanato descontrol!

Um belo dia acompanhei a Mamy no Saara e me apaixonei por alguns dos mil modelos de caixinha de madeira que vi por lá. Mas dessa vez eu não tinha em mente forrá-las de tecido, então levei duas pra casa e lá fui eu pesquisar técnicas de pintura e textura no mdf.

Pronto! Alguns dias depois lá estava eu no Saara com mais sacolas do que eu podia carregar! Já viu a expressão “olho maior que a barriga”? Deve ter alguma parecida em relação a peso e braços…

Quando eu me empolgo com alguma coisa, pesquiso a fundo, compro mil materiais, experimento tudo. Até que eu vi umas caixas com trabalhos de latonagem. Fiquei encantada e resolvi aprender latonagem também.

Agora estou bem mais satisfeita, por que nesse trabalho eu tenho mais possibilidades de expressão e criatividade. Eu posso até dizer que esse trabalho está bem mais para arte que para artesanato, o que deixa meu diploma de bacharel em pintura bem mais feliz em sua pastinha esquecida.

PS: E o que que eu vou fazer com aquele monte de paninhos que eu comprei? Aguardem as cenas do próximo capítulo!
PS2: Num mundo perfeito, o meu diploma seria plenamente feliz.

Deixa o “project” onde está

Bem, é isso aí. A falta de móveis fez minha casa ficar uma zona, então estou em mais um projeto “cada coisa em seu lugar”… E eu que tava me achando a rainha da organização e querendo mudar o nome do blog antes de vir pra cá! (Hahaha, que piada)

Mas uma coisa eu fiz bem, digo de novo: aceite ajuda, e se você tiver um marido que tem como lema “por que fazer hoje o que dá pra fazer nas férias do ano que vem”, lance mão de uma pessoa “pau pra toda obra hoje mesmo”.

Felizmente, vocês já sabem eu tenho uma dessas na manga: entreguei as chaves do meu ap pra Mamy e fui para o trabalho na confiança, e quando voltei: Tcharans! Prateleiras estrategicamente instaladas e meu espelho finalmente centralizado!(antes de comprá-lo eu era equilibrista de espelhinho em cima da torneira)

Pode não ser a ideia definitiva, mas pelo menos deu pra respirar, principalmente por que tenho um hobby novo, que eu prometo mostrar bonitinho no próximo post.

Por enquanto vou só dar um teaser pra vocês nessa foto das prateleiras!

PS: Sebastiana quebra o galho, mas é Mamy que dá jeito!

PS2: Nem a pau que essa parede vai ficar lilás até as férias do ano que vem!