Deixa o “project” onde está

Bem, é isso aí. A falta de móveis fez minha casa ficar uma zona, então estou em mais um projeto “cada coisa em seu lugar”… E eu que tava me achando a rainha da organização e querendo mudar o nome do blog antes de vir pra cá! (Hahaha, que piada)

Mas uma coisa eu fiz bem, digo de novo: aceite ajuda, e se você tiver um marido que tem como lema “por que fazer hoje o que dá pra fazer nas férias do ano que vem”, lance mão de uma pessoa “pau pra toda obra hoje mesmo”.

Felizmente, vocês já sabem eu tenho uma dessas na manga: entreguei as chaves do meu ap pra Mamy e fui para o trabalho na confiança, e quando voltei: Tcharans! Prateleiras estrategicamente instaladas e meu espelho finalmente centralizado!(antes de comprá-lo eu era equilibrista de espelhinho em cima da torneira)

Pode não ser a ideia definitiva, mas pelo menos deu pra respirar, principalmente por que tenho um hobby novo, que eu prometo mostrar bonitinho no próximo post.

Por enquanto vou só dar um teaser pra vocês nessa foto das prateleiras!

PS: Sebastiana quebra o galho, mas é Mamy que dá jeito!

PS2: Nem a pau que essa parede vai ficar lilás até as férias do ano que vem!

Paciência e bolo de banana

Estou com uma pressa danada de ver a minha casa ficar aconchegante e com a minha cara. Mas antes de pensar em decoração, algumas etapas estão sendo prioridade:

Limpeza

Algumas tarefas devem ser feitas logo de cara no apartamento novo, por que são daquelas que a gente faz uma vez na vida outra na morte: limpar todas as gavetas e armários por dentro, passar pano nas paredes, limpar rodapés, pintar o closet, etc.

Tornar a casa transitável

Logo de cara eu só pude contar com o closet e os armários da cozinha. Quando as estantes chegaram, e instalei algumas prateleiras, pude desencaixotar todos os livros e a maioria das coisas que tornavam os cômodos intransitáveis.

Instalação de acessórios

Algumas coisas parecem bobas, mas fazem uma tremenda falta, por que tornam a vida mais prática. Tratei logo de instalar um chuveirinho, um porta papel higiênico e cortinas para o box no banheiro. Ainda me faz falta um espelho, um filtro de água, uma mesa dobrável para eu poder fazer minhas refeições longe do computador ou sem prato no colo…

Jeitinho

Conselho de amiga: aceite ajuda, e se for de alguém que você ama, melhor ainda. Mami me ajudou a comprar e executar tudo isso, e com seu jeitinho prático, deu soluções para coisas que vão ter de esperar. Como eu ainda não tenho rack para a TV, ela me emprestou um módulo de canto do armário dela, para a falta de armário debaixo da pia do banheiro, uma fruteira de plástico baixinha.

Com tudo mais arrumadinho me animei a realmente estrear a minha cozinha fazendo um bolo, que dá aquela sensação de “estar em casa” que eu precisava. A receita eu aprendi com a minha irmã, e é o bolo mais molhadinho que eu conheço. Vai aí a receita:

Bolo de Banana da Imotto

2 ½ xícaras de farinha de rosca

2 xícaras de açúcar

1 colher de sopa de fermento

4 ou 5 bananas bem maduras

3 ovos

1 xícara de óleo

canela a gosto

Bater no liquidificador os ovos, a banana e o óleo; juntar essa mistura aos ingredientes secos mexendo com uma colher de pau; colocar tudo numa forma untada e enfarinhada; ir ao forno por mais ou menos 40 minutos ou até que a crosta rache e o palito saia limpo.

Teletransporte não seria má idéia

 Deve existir um mundo perfeito onde as pessoas se mudam de um dia pro outro, com empacotadores, carregadores, decoradores e até organizadores profissionais, e no final do dia chegam na casa nova com tudo arrumadinho e tinindo.

Esse não foi o meu caso.

Me deparei com diversas situações de deixar o cabelo em pé, mas que são absolutamente comuns na maioria das mudanças, pelo menos quando fazemos parte de todo o processo.

Mas isso não quer dizer que precisava ser assim. A seguir, listo algumas providências que tomei e que gostaria de ter tomado para facilitar as coisas:

Viva com o mínimo – Na última semana, exercite a simplicidade: se for um casal, mantenha apenas 2 copos, 2 pratos, 2 garfos, etc. Não faça compras de estoque, aproveite ao máximo o que tem na despensa e principalmente na geladeira, e se possível, cozinhe e congele com antecedência refeições que só exijam micro-ondas para poupar panelas. Finja que está acampado na própria casa.

Everything is everything – Não pense que você tem pouca coisa e que vai conseguir colocar tudo numa caixa e trasportá-la de um dia pro outro. Eu empacotei coisas relacionadas, inventariei, colei a lista dos objetos nas caixas, e ainda assim, me deparei na última hora com um mundo de miudezas que não lembrava, coisas desconexas entre si de tamanhos e pesos diferentes, enfim, a gente sempre acha que tem menos do que realmente tem. Após selecionar o que é absolutamente indispensável para viver nas últimas semanas, verifique todos os compartimentos da casa: todos os armários, todas as gavetas, e tente colocar todos os objetos afins juntos.

Custo/benefício – Eu resolvi pagar um frete para os móveis grandes e pesados e levar as caixas de carro. Resultado: intermináveis idas e vindas com mil caixas pesadas. Se bobear, a gasolina que eu gastei dava pra outro frete, e no final das contas, eu pagaria sorrindo pra não ter metade do trabalho todo que tive.

Comece cedo e planeje – Cada providência tomada com antecedência poupa tempo e cabeça para o dia D. Verifique se o caminhão pode parar na frente da casa, se existem impedimentos para mudanças em certos dias pelo condomínio, pense em como você vai transportar suas roupas, quais são as caixas que vão permanecer fechadas por um tempo na casa nova, na pintura das casas e etc.

Bom, o processo é longo e cansativo. Daria pra fazer um tratado sobre o tema, mas vou parar por aqui, por que tenho que focar no presente e procurar soluções para o novo desafio: tornar aconchegante e organizada uma casa que é maior, mas que não tem muitos móveis.

Contagem Regressiva…

 

 Nossa, faz um tempão que eu não posto, mas esse foi mais um sintoma da estagnação que eu passo quando tenho um grande evento pela frente e não consigo me mover no meio do caminho, como se tudo ficasse suspenso…

Mas isso ficou pra trás: É isso aí, estou com data marcada pra mudança!

Estava aqui pensando com os meus botões que todo esse esforço que estou fazendo para começar uma casa nova do zero, com tudo organizado, merece que eu batize a ela e a este blog simplesmente de “Harmonicasa”, deixando o “project” pra lá! Farei isso assim que eu estiver realocada!

Apesar de eu ainda ter vários aspectos das minhas coisas e da minha vida que eu quero organizar para aproveitá-las melhor, recebi dois elogios esses dias sobre a minha organização, enquanto eu mesma dizia estar em processo de ser organizada.

Isso me fez pensar que existe uma tendência ao perfeccionismo, a achar as coisas sempre poderiam estar melhor. Mas a verdade, é que tal qual o conceito de felicidade, a satisfação não é algo definido e acabado. Nossos desejos se multiplicam e nos levam pra frente, o que não deve gerar um sentimento de incompletude e sim a expectativa por mais e mais felicidade, pois somos seres naturalmente criativos.

Mudanças

Este slideshow necessita de JavaScript.

Começou uma nova etapa na minha missão de organização:

Vou me mudar!

Essa é a chance de ouro pra recomeçar do zero a ter tudo em seu lugar, e me livrar da tralha.

Como eu ainda estou desanimada para começar a encaixotar as coisas, já que o processo todo vai levar um tempinho e não quero ficar sem minhas coisas à mão, comecei a descartar o que não tem serventia.

  • Coisas que quebraram, foram substituídas, mas continuaram na casa, como mouses, fones de ouvido, fios e etc.
  • Manuais e certificados de garantia de coisas que eu já joguei fora ou dei
  • Certificados de garantia há muito expirados
  • É interessante manter alguns manuais de instruções de alguns aparelhos, mas eu sei muito bem como usar um secador de cabelos, né?
  • Já falei e vou repetir: normalmente brinde é tranqueira
  • Coisas repetidas: notei que eu tinha 3 baralhos, fiquei com o de maior qualidade e doei o resto.
  • Listas telefônicas antigas

Uma coisa engraçada foi revisar os armários lá em cima, onde se guardam coisas que não usamos no dia a dia, especialmente aquelas coisas “que podemos precisar algum dia” ou de valor sentimental, para lembrar de alguma época. Sabe o que encontrei? Um monte de coisa inútil: se não usei desde que me mudei, não vai ser agora que vou usar.

Mas uma parte divertida desse tipo de arrumação “uma vez na vida…” é encontrar coisas bem legais, que estavam esquecidas ou até perdidas, como cds de back up com coisas que eu achava que tinha perdido quando meu PC “deu pau”, como fotos de família e de eventos que passaram, resumos dos primeiros semestres de faculdade, etc.

Bom… Só porque eu não comecei a encaixotar, não quer dizer que eu não esteja montando e forrando caixas! Aqui vão as fotos das maiores caixas que já fiz, já me preparando pra organização!

Caixas “cubo”

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois das caixas hexagonais, agora meu xodó são as “caixas cubo”.

Elas são um pouco mais fáceis de fazer e são charmosas com essas tampas almofadadas…

Me lembram aquelas caixas de presente tradicionais, tipo aquelas que o smurf Joca distribuía, e quando alguém abria… Kabooom!

Mas as minhas não são explosivas, tá?!

Caixinhas hexagonais

Este slideshow necessita de JavaScript.

Meu maior prazer é fazer as caixinhas para presentear!

Se o custo financeiro é baixo, o tempo, o trabalho e o amor empregados é altíssimo nível, por isso não aceito encomendas.

Molde da caixa porta-revistas

Atendendo a solicitação da Daniela, fiz um molde que criei tendo por base os porta-revistas que vi por aí, e que resultou na caixa que postei.

As partes em verde escuro são para cortar fora (o buraco no meio é opcional). As linhas pretas são para dobrar.

Dica: Para as dobras ficarem perfeitas, é necessário passar o estilete nas junções antes de dobrar. Não é um arranhão, mas também não é para cortar fora, ok? Faça um teste antes para acertar a pressão do corte.

Na hora de montar a parte de cima, junte com fita crepe, a forragem de tecido vai segurar no lugar depois.

O molde de baixo é para fazer uma caixinha rasa (2 cm de altura) para encaixar e colar o molde de cima. Notem que nos “quadradinhos” eu só coloquei as linhas horizontais em verde escuro. Isso porque esses quadradinhos serão dobrados e colados na parte interna para segurar a caixa, mas dependendo da técnica de forragem, eles podem ser cortados fora e as laterais presas com fita crepe.

Geladeira of Hell

 

Um belo dia fiz compras e me deparei com a geladeira cheia, e não tinha lugar para colocar nada. Eu fiz compras realmente necessárias? Sim. Como é que tem tanta coisa dentro dela então? Vejamos…

  • há um compartimento próprio na geladeira para ovos. Se restaram 2 ou 3 da caixa mais antiga, eles podem ficar em cima dos novos para serem os primeiros a serem utilizados. Pronto! A caixa foi pro lixo e liberou o espaço
  • infelizmente tem comida velha na geladeira, pode contar. Os primeiros a irem pro saco são os legumes e verduras murchos, depois, as embalagens abertas com produtos estragados ou fora da validade, e podem ainda haver potes com sobras que já passaram do tempo. Mãos a obra, jogar fora e lavar os potes que voltarão pro armário (e os que não vão, dá pra passar uma aguinha rápida antes de ir pro saco de reciclagem, né?).
  • deve haver sobras de comida recente em potes grandes demais pra quantidade e em panelas, o que além de ocupar muito espaço, não são os melhores recipientes para guardar a comida. Providencie que os alimentos prontos fiquem em potes de tamanho compatível, de preferência de vidro e com tampa.
  • aprendi na marra que certos tipos de legumes duram mais fora da gaveta: tomates e  pimentões, por exemplo. Para que legumes e frutas que estragam rápido fiquem à vista, utilizei um porta petiscos de plástico que se adaptou muito bem
  • dá trabalho, mas vale a pena lavar as verduras, secar e pôr em potes tampados na geladeira. Duram muito mais, e ficam mais à mão, estimulando comê-los.

911: Dicas para melhora automática da zona

 

Tem dias que a gente está no meio de um projeto e não queremos parar. Tem dias que a gente se dá ao luxo de ficar um dia inteiro de pernas pro ar. Tem dias (seguidos) em que realmente estamos estafados.

O resultado? A casa ficou uma zona. É claro que há hábitos que podemos adquirir para evitar que isso aconteça, mesmo nessas situações, mas enquanto não os adquirimos, o incêndio deve ser apagado, por que quanto mais a bagunça acumula, mais desanimados ficamos pra botar a casa em dia.

Não tô falando de faxina, tô falando de emergência. Enquanto a polishop não disponibiliza a varinha de condão, aí vão algumas dicas:

  • Pegue uma cesta ou um balde e vá recolhendo num cômodo tudo o que pertence a outro. No próximo, ponha no lugar as coisas que pertencem a ele e recolha os de outros cômodos e assim por diante. Economiza idas e vindas, porque nem sempre caberá tudo em duas mãos.
  • Junte todo o lixo que encontrar e jogue fora (principalmente o lixo reciclável, que normalmente não tem lixeira própria dentro de casa)
  • A louça, sempre ela. Recolha tudo para pôr na pia. Já tem um post específico sobre louça, mas repito que se a louça estiver lavada, e a cuba e a bancada estiverem limpos, todo o resto da cozinha parecerá melhor. Agora, se você secar e guardar a louça, fará a cozinha parecer uma tetéia!
  • Roupa suja é no cesto de roupa suja, roupa limpa na corda é dobrada e guardada no lugar próprio esperando passar. Minha área de serviço é praticamente a minha cozinha, por isso a visão do varal vazio faz a maior diferença.
  • Arrume a cama. Não tem melhora mais rápida do que essa para o quarto.

Pronto! Esse é o básico pra nos tirar do meio do furacão. Mesmo que não haja tempo ou disposição para continuar, já vai facilitar muito as próximas tarefas. O resto é limpeza e continuação da meta de arrumar um local certo para cada coisa 😉

« Older entries Newer entries »