PAP: Carne Assada

 Nada mais “confort food” que carne assada. Na verdade eu não sei porque chamam assim: do jeito que mamãe me ensinou não vai ao forno, seria uma carne selada e ensopada com molho bem grosso. Mas nada impede de você colocar tudo pronto no forno. Eu não gosto da ideia, tenho medo de ressecar, mas você pode testar e fazer a experiência se quiser. Vocês fariam um grande favor ao postar o resultado dessa experiência no forno, já que eu tenho sido muito fiel à receita da mamy, e prefiro não mexer em time que tá ganhando!

Eu usei um lagarto redondo, quase 1 kg.

Primeiro eu limpo e tempero ela com vinho (branco ou tinto, vai no olho), 1 dente de alho amassado ou picado, pimenta do reino, sal e molho inglês. Deixo marinar na geladeira por meia hora no mínimo, mas se você for precavido, e temperar à noite, deixe marinar de um dia pro outro e fica ainda mais gostoso.

Tá vendo a gosma da próxima foto? É 1 pimentão grande, 1 tomate grande e uma cebola batidos no processador. Não é pra virar líquido, mas fica assim bem batidinho pra agradar meu maridinho que não gosta de pedaços de cebola. Confia em mim, o molho vai ficar bem encorpado com isso, mas se prefirir cortar em cubinhos, eu já fiz e dá certo também.

Numa panela de pressão, esquente óleo. Eu faço tudo no olho, mas chutaria que são umas 3 ou 4 colheres de sopa. Quando estiver bem quente, pegue a carne com um garfão e deixe escorrer o caldo antes de pôr na panela. Vai espirrar como o inferno, às vezes eu enrrolo meu braço com um pano, mas sempre coloco a tampa da panela de pressão por cima, só pra proteger a mim e ao fogão.

Eu deixo, sei lá, uns 4 minutos, e vou virando a carne pra ela “selar” por todos os lados. Quando estiver com “cara de bife” em todos os lados tá bom. Não se preocupe se o fundo da panela tá com cara de queimado. Cada vez que você for virar a carne, dá uma esfregadinha com ela no fundo, mas não vai sair o queimadinho, e fique tranks porque é assim que o molho fica com o gostinho ferrugem que a gente adora.

Esse é o ponto perfeito!

Pois bem, selada a carne de todos os lados, acrescente a “gosma” (ou os 3 ingredientes picados se desejar), o resto da marinada, e dá uma boa mexida pra soltar o caldo grudado no fundo.

Agora é pôr o molho de tomate (eu uso meia lata) e cubro a carne com água até um pouco mais que a metade da altura dela. Por questões de segurança, nunca encho a panela de pressão com mais de ¾ da capacidade. Prefiro mesmo metade, por segurança.

Hora de tampar a panela. Eu costumo virar a tampa ao contrário e colocar debaixo da torneira pra ver se a água sai por todos os lados (verificando pra ver se não tem nada entupido).

Nessa hora, não deixe a panela no fogo sem cuidado, aproveite pra lavar a louça, e quando fizer aquele barulhinho saindo vapor daquele negócio que gira em cima da tampa, baixe o fogo o máximo que puder e deixe lá por meia hora. Isso é o que acontece quando a sua panela de pressão está em bom funcionamento.

Ma verifique bem. Se estiver saindo vapor pelos lados da tampa, desligue o fogo, veja se não tem pressão nenhuma e tire a tampa. Tire e coloque a borracha em outra posição e tente de novo. Se continuar a sair vapor pelos lados da tampa, desista! É frustrante, porque vai levar horas pra carne ficar boa, e isso você só sabe testando, mas você não vai querer explodir a sua cozinha, e é a segurança da sua família que está em jogo!

Meia hora passada do cozimento normal na pressão, desligue o fogo e espere sair todo o ar antes de abrir a panela.

Nessa hora eu gosto de adicionar batatas e cenouras cortadas grandes. Na foto eu só usei 2 batatas médias.

Deixo no fogo médio com a panela destampada até o molho engrossar. Ou, se os legumes estiverem no ponto desejado, e a carne estiver desfiando, tiro eles e deixo o molho lá até engrossar bem.

Daí, é só fatiar a carne, dispor numa travessa, com os legumes, se tiver, e colocar o molho grosso por cima de tudo. Se tiver molho demais, guarde pra um molho de macarrão. Afinal, quando as cenouras e as batatas acabarem, macarrão e carne assada tem tudo a ver.

Obs.: Eu gosto de acrescentar coentro fresco ao final, mas isso é coisa minha e da minha sogra, vocês é que sabem das suas preferências.

Paciência e bolo de banana

Estou com uma pressa danada de ver a minha casa ficar aconchegante e com a minha cara. Mas antes de pensar em decoração, algumas etapas estão sendo prioridade:

Limpeza

Algumas tarefas devem ser feitas logo de cara no apartamento novo, por que são daquelas que a gente faz uma vez na vida outra na morte: limpar todas as gavetas e armários por dentro, passar pano nas paredes, limpar rodapés, pintar o closet, etc.

Tornar a casa transitável

Logo de cara eu só pude contar com o closet e os armários da cozinha. Quando as estantes chegaram, e instalei algumas prateleiras, pude desencaixotar todos os livros e a maioria das coisas que tornavam os cômodos intransitáveis.

Instalação de acessórios

Algumas coisas parecem bobas, mas fazem uma tremenda falta, por que tornam a vida mais prática. Tratei logo de instalar um chuveirinho, um porta papel higiênico e cortinas para o box no banheiro. Ainda me faz falta um espelho, um filtro de água, uma mesa dobrável para eu poder fazer minhas refeições longe do computador ou sem prato no colo…

Jeitinho

Conselho de amiga: aceite ajuda, e se for de alguém que você ama, melhor ainda. Mami me ajudou a comprar e executar tudo isso, e com seu jeitinho prático, deu soluções para coisas que vão ter de esperar. Como eu ainda não tenho rack para a TV, ela me emprestou um módulo de canto do armário dela, para a falta de armário debaixo da pia do banheiro, uma fruteira de plástico baixinha.

Com tudo mais arrumadinho me animei a realmente estrear a minha cozinha fazendo um bolo, que dá aquela sensação de “estar em casa” que eu precisava. A receita eu aprendi com a minha irmã, e é o bolo mais molhadinho que eu conheço. Vai aí a receita:

Bolo de Banana da Imotto

2 ½ xícaras de farinha de rosca

2 xícaras de açúcar

1 colher de sopa de fermento

4 ou 5 bananas bem maduras

3 ovos

1 xícara de óleo

canela a gosto

Bater no liquidificador os ovos, a banana e o óleo; juntar essa mistura aos ingredientes secos mexendo com uma colher de pau; colocar tudo numa forma untada e enfarinhada; ir ao forno por mais ou menos 40 minutos ou até que a crosta rache e o palito saia limpo.

Planejamento da lista de compras

Viu, mami? Eu ainda tenho sua listinha original! Deve ter uns 15 anos de idade!

 Dicas para tornar a ida ao mercado mais efetiva e evitar desperdícios:

  • Tenha uma lista de todos os possíveis itens de mercado que você costuma usar, organizando-os por seções, tipo: carnes, hortifruti, frios, grãos e farinhas, produtos de limpeza, produtos de higiene, e etc. Com essa lista na mão é mais fácil visualizar o que está faltando, e a organização por seções faz a lista definitiva de compras de um jeito que você não precise ler todos os itens cada vez que estiver numa seção, e aí, fica mais fácil não esquecer de nada. Foi a minha mama que me ensinou isso, e até hoje tenho e uso a lista dela, caindo aos pedaços. Vou guardar de recordação, mas vou fazer uma nova versão com coisas que eu costumo comprar e não têm na lista, e tirar dela coisas que não costumo comprar
  • O segundo passo é ter um cardápio com os principais pratos que você prepara, separando por tipo de refeição e por ingredientes principais. Ex: No item “carnes”, podem ser listados a carne assada, o cozido, o estrogonofe, o bife a role etc.
  • Uma vez que você tenha as duas listas, planeje o que você quer cozinhar durante uma ou duas semanas (dependendo da frequência de idas ao mercado), e compre os ingredientes correspondentes. Mas cuidado, não compre legumes e hortaliças pra consumir daqui a duas semanas, pois é lógico que vão estragar, a não ser que você planeje congelar pratos prontos.

Comida Prática

 

Comida prática pra mim, não é aquela que leva pouco tempo pra preparar, mas sim a que dura, que pode ser esquentada no micro-ondas, levada na marmita e até mesmo congelada.

Esse tipo de comida faz minha jornada na cozinha (normalmente domingo) render de 2 a 3 dias de comida pronta, economiza uma grana de restaurante em dias de trabalho, poupa panelas para esquentar e lavar, e são uma bênção quando chego em casa cansada e com fome.

Exemplos de comida que não é prática são bifes, omeletes, macarrão instantâneo, nuggets, batata frita, etc. Embora sejam de rápido preparo, têm de ser preparados e consumidos na hora, e na próxima refeição, uma nova jornada de cozinha terá de ser iniciada. São práticos apenas para os dias em que não tiver nada pronto e não houver tempo e disposição para cozinhar algo mais elaborado (normalmente quinta e sexta-feira).

Exemplos de comida prática são: feijoadinha, cozido, carne assada, frango xadrez, purê de batata, carne moída, panquecas recheadas, tortas e etc. Repare que além de prática, têm valor nutricional superior às que citei no item anterior.