Who you gonna call? Ghostbusters!

 

Ontem cheguei em casa, minha irmã veio me visitar e nem deu tempo de conferir a notícia que veio pelo telefone: meu marido me perguntando se eu vi que a diarista quebrou a quina do espelho. Na hora eu disse simplesmente “pô, que droga”.

Hoje já bateu uma pequena deprê, por que parece que tudo que eu ando comprando está sendo dinheiro perdido: o chuveirinho está pingando, o filtro tá meio bambo porque não era compatível com a toneira, o tapete tá com uma queimadura de cigarro, o vidro do criado-mudo quebrou antes mesmo de chegar ao quarto… Então por que surtar por causa do meu espelho novinho com a quina quebrada?!… AHHHHHHH! (Surtei atrasado)

Pode parecer maluquice, mas as vezes eu preferia que todas essas coisas ficassem mesmo inutilizáveis e eu comprasse tudo novinho de novo, mas nãaaaao: são coisas novas, inteiras com um defeitinho não suficiente para ir pro lixo ou ser doado. Dói no bolso e na consciência.

Resultado? Itens novinhos com cara de quebra-galho.

Antes de pensar que solução eu vou dar pra isso tudo, vou aceitar a proposta da minha irmã de purificar a casa, nem que seja com um incensinho…

PS: Eu não acredito em bruxas, mas que elas existem, ah, existem….

Paciência e bolo de banana

Estou com uma pressa danada de ver a minha casa ficar aconchegante e com a minha cara. Mas antes de pensar em decoração, algumas etapas estão sendo prioridade:

Limpeza

Algumas tarefas devem ser feitas logo de cara no apartamento novo, por que são daquelas que a gente faz uma vez na vida outra na morte: limpar todas as gavetas e armários por dentro, passar pano nas paredes, limpar rodapés, pintar o closet, etc.

Tornar a casa transitável

Logo de cara eu só pude contar com o closet e os armários da cozinha. Quando as estantes chegaram, e instalei algumas prateleiras, pude desencaixotar todos os livros e a maioria das coisas que tornavam os cômodos intransitáveis.

Instalação de acessórios

Algumas coisas parecem bobas, mas fazem uma tremenda falta, por que tornam a vida mais prática. Tratei logo de instalar um chuveirinho, um porta papel higiênico e cortinas para o box no banheiro. Ainda me faz falta um espelho, um filtro de água, uma mesa dobrável para eu poder fazer minhas refeições longe do computador ou sem prato no colo…

Jeitinho

Conselho de amiga: aceite ajuda, e se for de alguém que você ama, melhor ainda. Mami me ajudou a comprar e executar tudo isso, e com seu jeitinho prático, deu soluções para coisas que vão ter de esperar. Como eu ainda não tenho rack para a TV, ela me emprestou um módulo de canto do armário dela, para a falta de armário debaixo da pia do banheiro, uma fruteira de plástico baixinha.

Com tudo mais arrumadinho me animei a realmente estrear a minha cozinha fazendo um bolo, que dá aquela sensação de “estar em casa” que eu precisava. A receita eu aprendi com a minha irmã, e é o bolo mais molhadinho que eu conheço. Vai aí a receita:

Bolo de Banana da Imotto

2 ½ xícaras de farinha de rosca

2 xícaras de açúcar

1 colher de sopa de fermento

4 ou 5 bananas bem maduras

3 ovos

1 xícara de óleo

canela a gosto

Bater no liquidificador os ovos, a banana e o óleo; juntar essa mistura aos ingredientes secos mexendo com uma colher de pau; colocar tudo numa forma untada e enfarinhada; ir ao forno por mais ou menos 40 minutos ou até que a crosta rache e o palito saia limpo.

Geladeira of Hell

 

Um belo dia fiz compras e me deparei com a geladeira cheia, e não tinha lugar para colocar nada. Eu fiz compras realmente necessárias? Sim. Como é que tem tanta coisa dentro dela então? Vejamos…

  • há um compartimento próprio na geladeira para ovos. Se restaram 2 ou 3 da caixa mais antiga, eles podem ficar em cima dos novos para serem os primeiros a serem utilizados. Pronto! A caixa foi pro lixo e liberou o espaço
  • infelizmente tem comida velha na geladeira, pode contar. Os primeiros a irem pro saco são os legumes e verduras murchos, depois, as embalagens abertas com produtos estragados ou fora da validade, e podem ainda haver potes com sobras que já passaram do tempo. Mãos a obra, jogar fora e lavar os potes que voltarão pro armário (e os que não vão, dá pra passar uma aguinha rápida antes de ir pro saco de reciclagem, né?).
  • deve haver sobras de comida recente em potes grandes demais pra quantidade e em panelas, o que além de ocupar muito espaço, não são os melhores recipientes para guardar a comida. Providencie que os alimentos prontos fiquem em potes de tamanho compatível, de preferência de vidro e com tampa.
  • aprendi na marra que certos tipos de legumes duram mais fora da gaveta: tomates e  pimentões, por exemplo. Para que legumes e frutas que estragam rápido fiquem à vista, utilizei um porta petiscos de plástico que se adaptou muito bem
  • dá trabalho, mas vale a pena lavar as verduras, secar e pôr em potes tampados na geladeira. Duram muito mais, e ficam mais à mão, estimulando comê-los.

911: Dicas para melhora automática da zona

 

Tem dias que a gente está no meio de um projeto e não queremos parar. Tem dias que a gente se dá ao luxo de ficar um dia inteiro de pernas pro ar. Tem dias (seguidos) em que realmente estamos estafados.

O resultado? A casa ficou uma zona. É claro que há hábitos que podemos adquirir para evitar que isso aconteça, mesmo nessas situações, mas enquanto não os adquirimos, o incêndio deve ser apagado, por que quanto mais a bagunça acumula, mais desanimados ficamos pra botar a casa em dia.

Não tô falando de faxina, tô falando de emergência. Enquanto a polishop não disponibiliza a varinha de condão, aí vão algumas dicas:

  • Pegue uma cesta ou um balde e vá recolhendo num cômodo tudo o que pertence a outro. No próximo, ponha no lugar as coisas que pertencem a ele e recolha os de outros cômodos e assim por diante. Economiza idas e vindas, porque nem sempre caberá tudo em duas mãos.
  • Junte todo o lixo que encontrar e jogue fora (principalmente o lixo reciclável, que normalmente não tem lixeira própria dentro de casa)
  • A louça, sempre ela. Recolha tudo para pôr na pia. Já tem um post específico sobre louça, mas repito que se a louça estiver lavada, e a cuba e a bancada estiverem limpos, todo o resto da cozinha parecerá melhor. Agora, se você secar e guardar a louça, fará a cozinha parecer uma tetéia!
  • Roupa suja é no cesto de roupa suja, roupa limpa na corda é dobrada e guardada no lugar próprio esperando passar. Minha área de serviço é praticamente a minha cozinha, por isso a visão do varal vazio faz a maior diferença.
  • Arrume a cama. Não tem melhora mais rápida do que essa para o quarto.

Pronto! Esse é o básico pra nos tirar do meio do furacão. Mesmo que não haja tempo ou disposição para continuar, já vai facilitar muito as próximas tarefas. O resto é limpeza e continuação da meta de arrumar um local certo para cada coisa 😉

Louça Zen (parte 2)

Transforme a limpeza da louça em um momento livre de problemas: Já percebeu que quando a gente deixa a mente vagar ela tende a ir para o passado ou para o futuro, normalmente focando em problemas? O grande motivo de tarefas como lavar louça serem chatas, é que a gente não presta a devida atenção ao que faz, porque a mente está em outro lugar.

Pelo menos nesse momento, concentre-se apenas no agora, e você pode descobrir que as coisas do dia a dia podem ser mais prazerosas do que você imagina, e os resultados práticos, muito mais efetivos.

Agora, voltando à louça em si, nesse momento zen (rs), eu gosto de lavar por partes separando a louça ensaboada em cima da pia: os copos, os pratos, os talheres, os potinhos…

Depois, o fundamental é ter um bom escorredor de louça, de um tamanho bom o bastante para caber tudo do dia a dia, deixando tudo organizado para secar direito e facilitar na hora de guardar.

Uma coisa que facilitou muito meu trabalho foi o escorredor de talheres: ele tem 3 divisões que uso para separar facas, garfos e colheres, facilitando na hora de guardar. Além disso, o fato de escorrerem em pé os faz secar muito mais rápido, e liberam o espaço original deles no escorredor propriamente dito para xícaras de café e outras miudezas

Não se esqueça de tirar aquele lixinho nojento do ralo, limpar a cuba e a bancada.

Louça Zen (parte 1)

Lavar louças é considerada uma das coisas mais chatas do trabalho doméstico, em compensação, é uma das tarefas que, se cumpridas, dão aparência imediata de melhora na zona da cozinha.

Tá achando que não há nada pra se falar sobre lavar louça? Vamos lá:

  • Em primeiro lugar, se for muita louça mesmo, eu separo, dentro da pia os copos, deixo os talheres dentro de um deles, empilho os pratos e etc. Mesmo que não seja pra lavar logo, a visão já não fica tão assustadora, e algumas coisas podem ficar de molho para facilitar a lavagem depois.
  • Eu sei. Muitas vezes, depois de cozinhar, o cansaço toma conta e a gente quer apenas comer e descansar. Mas certos tipos de louça e certos tipos de comida são facílimos de limpar imediatamente depois do uso, e incrivelmente complicados se deixar pra depois, porque quando secam é um inferno pra limpar: liquidificador e batedeira, especialmente se tiverem batido massa, a panela de feijão, qualquer coisa que leve tomates ou molho de tomate, etc. Se estiver realmente cansado, passe só uma água pra tirar o grosso da comida. Você vai se agradecer por não ter que esfregar tanto depois.
  • Jogue os restos de comida no lixo, e se tiver muita gordura na louça, passe um papel toalha antes de colocar na pia. O motivo disso não é só facilitar a lavagem, é que se você for tirar essas coisas na bucha, ela fica nojenta, e chega uma hora que não se sabe mais se ela está limpando ou espalhando a gordura.
  • Falando em gordura, faça um favor ao planeta e coloque o óleo de fritura sujo numa garrafa pet. Não pode ter nada na pia quando for lavar panela de fritura, senão o trabalho de lavar as outras coisas será dobrado
  • Embora a sensação de usar luvas de borracha na hora de lavar não seja das melhores, ela será recompensada pela sensação de não ter unhas estragadas, dedos enrugados e engordurados. Além disso, se a louça estiver muito nojenta e difícil, ou se tiver de usar palha de aço, é a maneira mais fácil de enfrentar essa tarefa.

Reforma na casa

A empolgação do 1º dia de reforma me custou horas de arrumação e limpeza.

Mal comecei o blog e já estou lerdando pra postar. Motivo: estou reformando a casa, consertando infiltrações, pintando as paredes, as portas, etc.

Aqui vão dicas de quem aprendeu na porrada:

  • Não vá se animando de cara em começar a quebrar, emassar, lixar e pintar sem proteger o chão e os móveis, e tirar tudo que for possível do ambiente a ser trabalhado. Isso é um saco, mas compensa um mega trabalho na hora de limpar
  • Use uma roupa velha o bastante para jogar fora depois, não ache que você vai ser cuidadoso, porque acidentes acontecem, e com mais frequência à medida que começa a cansar. No final, é inevitável mesmo que caiam respingos de tinta na roupa, mesmo que minúsculos
  • Não dispense a proteção das luvas e máscara contra poeira. Os produtos e ferramentas acabam com suas unhas e com sua pele, as tintas e solventes são um pouco tóxicos (mesmo lavando as mãos depois), e a poeira da argamassa e da massa corrida é muito fininha e vai pro seu pulmão
  • Centralize os materiais num só lugar no final do dia, e não tenha preguiça de lavar as coisas, senão vai secar e você terá que comprar tudo de novo, além disso, é muito mais cansativo e desanimador ver tudo bagunçado e sujo, é melhor limpar e organizar na medida do possível e depois só apreciar o trabalho feito.
  • Separe e rotule, mesmo que com um simples pedaço de papel, os parafusos, interruptores, tomadas e tudo o mais que tenha sido retirado do lugar, senão você não vai lembrar o que corresponde a que (eu não fiz isso, estou jogada à própria sorte na hora de colocar tudo no lugar).