PAP: Molde de caixas cubo e forragem de tecido

Muita gente tem me pedido o molde das caixas de papel paraná. Eu não tenho feito caixas forradas de tecido, porque estou mais entretida com o trabalho artístico das caixas de MDF e da latonagem, mas resolvi dar de presente pra vocês o esqueminha de duas caixas cubo e uma ideia de forração de lambuja!

Esse primeiro molde é facílimo e não tem mistério nenhum: O material é papel paraná, cola branca extra e fita crepe, e o esquema é o seguinte:

Clique para aumentar

Depois de cortar as partes do molde, é necessário passar o estilete de leve nas junções entre uma face e outra pra facilitar a dobra. Não é um arranhadinho, nem é pra contar o pedaço fora, treine um pouco que você pega o jeito (e vê se não corta o dedo). Uma dobra perfeita influencia demais no resultado, pois do contrário fica torto e não encaixa direito.

 

Pode pôr fita dentro também

As laterais da caixa e as abas da tampa são juntadas com fita crepe. Fica tranks que na forragem tudo vai ficar mais forte.

Existem várias formas de forrar uma caixa e essa é só uma ideia: o material é papel cartão, tecidinhos e cola.

Corte um quadrado de papel cartão para cada face, lembrando que o das faces de dentro serão um tiquinho menores.

Pincele os cartões “esticando” bem a cola, fixe a parte branca no tecido, vire e alise com os dedos. Se ficar cola demais, ultrapassa o tecido e fica manchado e feio, se tiver pedaços sem cola, fica uma bolha. Daí é colar cada quadrado na face correspodente e as sobrinhas (quando for o caso) na face adjacente.  

A montagem tá no esqueminha, mas a idéia básica é que o lance é um quebra-cabeça: Se de um lado tem sobra, o adjacente tem dobra. Assim o acabamento fica perfeito, sem risco de ficar algum pedaço sem paninho.

Mesma idéia pra parte interna

 

Pra tampa, pro molde seguinte e pra qualquer outra caixa que vocês fizerem é a mesma coisa, fica aí o dever de casa pra vocês pensarem, ok? Esse esquema é bem básico, outra hora eu passo o molde da sextavada, mas o princípio é igualzinho…

PS: Cuidado com o estilete! Quando eu estava começando, fiz um corte feio no dedo no meio e foi uma cena de terror com direito a sangue nas paredes recém pintadas no outro apartamento.